sábado, 18 de abril de 2009

Na Cohab em SP, senhas acabam em uma hora

>


As irmãs, Antônia e Maria José, que ficaram na fila mais de sete horas: sem confiança na inscrição pela internet

 

 

De São Paulo - VALOR

minhacasa6.jpg

Às 9 horas da manhã de ontem, já não havia mais senha sendo distribuída no centro de atendimento da Companhia Metropolitana de Habitação (Cohab-SP) na capital paulista. O local abre às 8 horas e em uma hora 500 pessoas formaram uma fila que dava voltas em frente ao prédio. Quem chegou depois terá que voltar outro dia. Antes do anúncio do programa federal Minha Casa, Minha Vida, eram atendidas em média 40 pessoas por dia para o cadastramento. A Cohab-SP está encarregada de fazer o levantamento de demanda para o programa federal, mas a falta de informações precisas para a população causou um gargalo no atendimento.

“Estamos orientando as pessoas a se cadastrarem pela internet, não é necessário pegar toda essa fila”, disse o presidente da Cohab-SP, Ricardo Pereira Leite. O site, porém, ficou inacessível na quarta-feira por conta do aumento súbito dos acessos, de uma média de 250 por dia para cerca de 1 mil. “Mas o problema já foi resolvido”, disse Leite.

Maria Gildete Feitosa chegou no centro de atendimento da Cohab às 8 horas e ainda estava na fila às 13h30. “A gente vem preparada para passar o dia todo”, disse a dona de casa, moradora do bairro de São Mateus, na Zona Leste de São Paulo. Os funcionários da Cohab entregavam bilhetes com o endereço do site da companhia. “Eles mandam fazer a inscrição pelo site, mas não dá para confiar”, diz ela, que faria o cadastro pela primeira vez.

Segundo o superintendente regional da Caixa Econômica Federal (CEF) em São Paulo, Válter Nunes, as pessoas não precisam se preocupar em fazer o cadastramento imediatamente. A estimativa, considerando que os primeiros imóveis do programa comecem a ser construídos no mês que vem, é de que demorará ao menos oito meses até que as primeiras chamadas sejam realizadas. “Não vamos escolher as famílias por ordem de chegada, ainda estamos discutindo com as prefeituras os critérios que serão considerados”, disse ele.

Maria José Magnossão, mora na zona Norte de São Paulo e se inscreveu no sistema da Cohab-SP em 2005, mas nunca foi chamada. “Tentei atualizar meus dados no site, não consegui, e vim aqui para garantir minha inscrição.” Sua irmã, Antônia Tomaz da Silva, conta que ouviu no jornal que as inscrições começavam essa semana. “Não sei que programa que é, mas ouvi que tinha que vir se cadastrar na prefeitura”, disse. (SM)

>

Fonte: Blog do Favre

2 comentários:

  1. luiscarlosgonçalvesdasilva23 de janeiro de 2010 14:24

    meu nome luis carlos gonçalves da silva gostaria de saber quando o prefeito de são paulo vai lembrar dos aposentados que ganha um salario minimo para poder adiquirir sua moradia tão demrada que dia 23 de março vai fazer 3 anos que fis iscrição na prefveitura e a cohab alega que o prefeito de são paulo não tem verba nem previsão para quando vai começar o projeto da cohab espero que não leva 30 anos porque para nóis aposentados prefeito de são paulo podia ja te entregado a muito tempo os projetos de casas da cohab

    ResponderExcluir
  2. Luiz Carlos, infelizmente a politica de nosso prefeito é de não destacar os projetos sociais do Presidente Lula. Isso faz com que por uma vontade do Governador José Serra, para não repercutir projetos do governo federal, ao qual ele concorre diretamente nas eleições 2010, o povo paulista sofra com a falta de investimentos. Para Serra, projeto bom é o CDHU, com isso a Cohab fica praticamente sem construir unidades. Com certeza a Cohab poderia produzir unidades habitacionais com incentivo do programa minha casa minha vida, mas assim como o programa Farmácia Popular, não é vontade desses governantes a divulgação dos programas do PT.

    ResponderExcluir