sábado, 29 de agosto de 2009

Serra envia propaganda eleitoral em casa. Tudo pago com dinheiro público


>
Se o PT quiser já pode começar a se mexer e entrar no TSE, com uma representação contra o governador paulista José Serra.Segundo conta a Folha tucana,o governador José Serra (PSDB) começou a entregar na porta de moradores de 52 municípios do interior e da região metropolitana de São Paulo um boletim mensal no qual faz propaganda de suas obras e projetos.
>
>
Trata-se da primeira fase do nova estratégia de divulgação de realizações do governo. Nas quatro páginas do boletim, duas são específicas para cada município e as outras padronizadas com temas da gestão.O plano deverá ser ampliado.

O custo de produção, impressão e distribuição do material é de R$ 680 mil mensais, ou seja, R$ 8,2 milhões anuais.Em média, são entregues porta a porta 44 mil boletins por município, o que significa 2,3 milhões de exemplares mensais -São Paulo tem 29,3 milhões de eleitores. Cada exemplar custa R$ 0,30. O material é rodado e distribuído via mala direta postal pela Imprensa Oficial do Estado.Ou seja, já cabe ai uma representação por uso da máquina pública

O dinheiro sairá do Orçamento de publicidade do governo. Serra tem à disposição este ano cerca de R$ 227 milhões para gastar em publicidade, excluindo as estatais. O valor é 43% maior do que foi gasto em propaganda no ano passado.O governador tucano aparece atualmente em primeiro lugar nas pesquisas de intenção de voto para a sucessão presidencial do ano que vem.

O "Boletim Informativo Regional", como o material foi batizado, é apresentado com o título "Trabalhando por você em... [nome do município]".Em carta interna enviada a outros integrantes da gestão, o secretário de Comunicação, Bruno Caetano, diz que a nova iniciativa "garantirá que a população fique bem informada, tenha conhecimento sobre os seus direitos e possa usufruir de todas as ações do governo".

"A decisão de produzir o boletim levou em conta a possibilidade de atingir diretamente o cidadão com informações relevantes e específicas sobre as ações do governo em sua cidade compatível com Orçamento da secretaria", afirma nota oficial enviada à Folha pela Secretaria de Estado de Comunicação.

O material destinado a Cubatão em agosto, por exemplo, traz na capa informações sobre a construção de um viaduto acompanhadas de elogios da população à iniciativa estatal.

Em Taubaté, o destaque é para apartamentos entregues pela CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano), empresa do governo. No boletim de Guarulhos, o material apresenta realizações na área da Saúde.

Em agosto, as duas páginas internas padronizadas se destinam à educação. "Ensino melhora nas escolas de São Paulo", diz o título. Os textos citam reformas, implantação de terminais de internet nas escolas e entregas de kits escolares.
>
Fonte: Blog Amigos do Presidente Lula

Dono do Ibope vira coordenador de campanha de Serra

>
Carlos Augusto Montenegro virou um dos coordenadores de Campanha de José Serra à presidência da República. De forma informal, extra-oficial, mas os fatos comprovam.

Na quarta-feira à noite, Montenegro reuniu-se com a cúpula do PMDB, para pregar a candidatura própria peemedebista à Presidência da República.

Uma clara articulação política a favor de José Serra (PSDB/SP), pois hoje a tendência do PMDB é apoiar Dilma oficialmente, ou rachar, com a maioria apoiando Dilma. Praticamente não há chances de apoiarem Serra.

Assim, interessa a Serra uma candidatura própria do PMDB que tire de Dilma os votos que as oligarquias do PMDB controlam em seu eleitorado, e também os minutos na TV da propaganda eleitoral gratuíta.

Esse gesto mostra que Serra já está com medo de perder eleições no primeiro turno. Tivesse confiante, não afiria para embaralhar as eleições com mais candidatos.

Montenegro sugeriu que o presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP), concorresse para perder, argumentando:

"... O Lula disputou três até vencer, o Serra já concorreu uma vez, o Ciro, duas ...

... O PMDB é o grande partido do país e deve ter um projeto nacional ...

... O DEM quase não tem representatividade no país ...

... O PSDB é muito paulista ...

... O PT vai ter resultados pouco expressivos nos estados..."

Segundo o colunista Ilimar Franco, ele não conseguiu empolgar as raposas peemedebistas.

Na semana passada, o dono do Ibope deu entrevista à revista Veja "proclamando" Serra como presidente eleito por antecipação, com argumentos tão fracos que só servem para conferir má reputação ao Ibope.

Assim fica difícil alguém acreditar nas pesquisas do Ibope que vem por aí.
>
Fonte: Blog Amigos do Presidente Lula

Serra trata famílias despejadas como moradores de rua

>

Cerca de 570 famílias despejadas continuam acampadas em frente ao terreno onde era organizado o acampamento Olga Benário, destruído pela Polícia Militar (PM) nesta segunda-feira (24), no Parque do Engenho, zona sul da cidade de São Paulo. Ao invés de moradia digna e definitiva, o governador de São Paulo, José Serra (PSDB), ofereceu albergues para os moradores. O albergue é a principal política do Estado para moradores em situação de rua.

>

>
A alternativa habitacional foi anunciada pelo o assessor da Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU), Antonio Lajarin. O representante do governo também ofereceu cestas básicas e colchonetes - doados pela Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social. O coordenador da Frente de Luta por Moradia, Osmar Borges, criticou a ação.

“Não dá para o Estado tratar essa situação como se fosse população em situação de rua. Albergue não dá para ser tratado como política habitacional. Nós não aceitamos porque já havia, inclusive, um acordo com a CDHU e a prefeitura de tentar uma verba de emergência para atender as famílias até que tivesse uma saída.”

Em solidariedade, a Organização Não-Governamental, Anistia Internacional, pediu em comunicado, nesta quinta-feira (27/08), para que a população proteste em favor das famílias. A ONG chamou atenção para a violência utilizada pela PM no despejo. Durante a reintegração, todas as casas e barracos foram destruídos e a maioria dos pertences das famílias foram perdidos.

Fonte: Radioagência NP

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Globo alivia Caos no Metrô do Serra

>


População de São Paulo Refém!
>


Estação Tietê 27/08 as 7:15hs plataforma não cabe mais ninguém.

Estação São Bento 27/08 8:45hs - 1:30hs para andar 4 estações.
>



Ninguém do PIG vai enviar um reporter internacional para investigar?

Milhões gastos em publicidade, e linhas existentes sucateadas!

>
Segue a incompetência tucana, propaganda ilude população!

CPTM tarifas iguais a do Metrô só que o serviço é de pior qualidade.

>
Depois da irresponsabilidade não temos nenhum culpado.

Empreiteiras continuam a prestar serviço de péssima qualidade!

>
Kassab "prefeito manipulado" repassa o pouco dinheiro da prefeitura para o presidenciável Serra.

A guarda civil não tem aumento, mas Kassab dá prêmio
para policiais militares do estado (Serra economiza p/ 2010) população da capital paga o pato.

>
Superlotação nas estações, população perde o direito de usar o bilhete unico duas vezes seguidas.

Promessa de campanha de Kassab de não aumentar tarifa
faz a frota de ônibus ficar sucateada!
>

Reportagem do G1 (globo) dá apenas uma pequena nota, enquanto a população sifu!

O Metrô de São Paulo estava um verdadeiro caos no início da manhã desta quinta-feira (27). Segundo informado pelo sistema de som da companhia, um problema na estação Liberdade fez com que os trens circulassem com menor velocidade e maior tempo de parada nas estações.

O trajeto da estação Santana até a Sé, que normalmente leva entre 15 a 20 minutos, às 7h50 da manhã estava levando até uma hora.

O trajeto entre as estações Tiradentes e Vergueiro, que leva 15 minutos, foi percorrido no dobro do tempo.

>

video

Estação São Bento

Idosos e crianças não puderam entrar

Mesmo os mais fortões sofreram no empurra empurra!

Trêns ficaram parados dentro do túnel por mais de 15 minutos.

População refém, a solução da mídia não pode ser a única opção de transporte em São Paulo.


Enquanto isso a preocupação do Sr. governador é a de manipular

a mídia, se acontece uma greve é culpa dos petistas!




Serra vai às compras na Editora Abril… De novo!

>

Serra Abril

Muito se tem falado sobre as relações perigosas do Governo José Serra (PSDB-SP) com o Grupo Abril, que publica entre outros títulos a revista Veja. No último dia 19, como é possível ver na imagem acima, a Fundação Para o Desenvolvimento da Educação – FDE, do Governo de São Paulo, publicou despacho para compra por inexigibilidade (sem licitação) de 540 mil exemplares do Guia do Estudante e 27,5 mil unidades da Revista do Professor, ambas da Abril.

De fato, é de se estranhar a escalada dos contratos entre o Governo Serra, a Fundação Roberto Marinho (das organizações Globo) e a Fundação Victor Civita (editoras Abril, Scipione e Ática). De acordo com o Sistema de Acompanhamento da Execução Orçamentária de São Paulo, os valores pagos ao Grupo Abril pularam de R$ 526 mil, em 2007, para R$ 11,5 milhões, em 2008. Só até marco deste ano, outros R$ 2,5 milhões saíram do bolso dos contribuintes paulistas para o bolso dos Civita.

A Fundação Roberto Marinho saiu dos magros R$ 60 mil, em 2007, para mais de R$ 30 milhões, em 2008 – a maior parte desse valor foi para o projeto Telecurso.

O blog NaMaria News detalha as compras feitas pelo governo paulista à Editora Abril. Veja (veja???) abaixo.

15/1063/07/04 – Fundação Victor Civita – Assinatura da Revista Nova Escola destinada as escolas da rede Estadual de Ensino – Prazo: 300 dias - Valor: R$ 408.600,00 - Data de Assinatura: 27/09/2007. (Ver: Despacho da Diretora de Projetos Especiais, de 25/9/2007 – Declarando inexigível licitação … eis que trata-se de renovação de 18.160 assinaturas, da Revista “Nova Escola” destinadas às Diretorias de Ensino, Oficinas Pedagógicas e Escolas da Rede…)

DO – 29/março/2008 (ver também: DO – 4/março/2008)

15/0181/08/04 – Editora Abril S/A – 3.000 assinaturas – Revista Recreio – ao Programa Ler e Escrever Prazo: 365 dias - Valor: R$ 1.071.000,00 – Data de Assinatura: 14/03/2008.

15/0182/08/04 – (já retificado de acordo com DO de 6/março/2008) Editora Abril SA – 6.000 Assinaturas Revista Recreio – Programa Ler e Escrever – Editora Abril S/A -
Objeto: Programa Ler e Escrever – Prazo: 365 dias - Valor: R$ 2.142.000,00 – Data de Assinatura: 14/03/2008.

15/0543/08/04 (anunciado em 4/abril/2008) – Editora Abril S/A – Aquisição de 415.000 exemplares do Guia do Estudante - atualidades Vestibular 2008, destinado a alunos da 3ª séries do Ensino Médio, incluindo a entrega às Diretorias de Ensino da Cogsp e Diretorias de Ensino da CEI. – Prazo: 30 dias - Valor: R$ 2.437.918,00 – Data de Assinatura: 15/04/2008.

DO- 12/agosto/2008

15/0670/08/04 – Editora Abril S/A – 5.155 assinaturas da Revista Recreio – 365 dias -Valor: R$ 1.840.335,00 – Data de Assinatura: 23/07/2008.

15/1104/08/04 – Editora Abril S/A - Impressão, manuseio e acabamento de 2 edições do Guia do Estudante – Prazo: 45 dias - Valor: R$ 4.363.425,00 – Data de Assinatura: 08/09/2008. Ver: DO 20/agosto/2008 – Declarando inexigível… aquisição de 2 edições, nºs 7 e 8, do Guia do Estudante Atualidades Vestibular, sendo 430.000 exemplares cada a serem distribuídos às escolas da Rede Estadual para os alunos da 3º série do Ensino Médio, subsidiando o Projeto Apoio à Continuidade de Estudos, conforme solicitação da CENP – Coordenadoria de Estudos e Normas Pedagógicas a ser fornecido pela Editora Abril S/A fornecedora exclusiva…

15/1165/08/04 – Fundação Victor Civita – Aquisição pela FDE, de 220.000 (duzentos e vinte mil) assinaturas da Revista Nova escola, com 10 (dez) edições anuais, para Unidades Escolares da Rede Estadual de Ensino – Prazo: 300 dias - Valor: R$ 3.740.000,00 – Data de Assinatura: 01/10/2008.NOTA: O Tribunal de Contas de SP, em 24 de março de 2009, julgou a negociação perfeita. Votaram pela normalidade absoluta os seguintes Conselheiros do TC: Fulvio Julião Biazzi (Presidente e Relator), Renato Martins Costa e Robson Marinho. Ver: Questionamentos inúteis de Roberto Felício em Plenário, Requerimento de Informação Nº 285 – 2/outubro/2008.

15/0063/09/04 – Editora Abril S/A – Aquisição de 430.000 exemplares do Guia do Estudante Atualidades Vestibular – Edição nº 08, e 20.000 exemplares da publicação Atualidades Revista do Professor, incluindo entrega às 3.530 unidades escolares e 91 Diretorias de Ensino da Rede Estadual de Ensino – Prazo: 45 dias - Valor: R$ 2.498.838,00 – Data de Assinatura: 05/02/2009.

DO – 17/abril/2009

15/0149/09/04 – Editora Abril S/A – Aquisição de 25.702 assinaturas da Revista Recreio – destinadas às escolas da Rede de Ensino da COGSP e da CEI – Prazo: 608 dias - Valor: R$ 12.963.060,72 – Data de Assinatura: 09/04/2009.

DO – 20/maio/2009

15/0355/09/04 – Editora Abril S/A – Aquisição de 5.449 assinaturas da Revista Veja, 51 Edições, destinados às escolas da Rede Estadual de Ensino – Prazo: 364 dias - Valor: R$ 1.167.175,80 – Data de Assinatura: 18/05/2009.

15/0238/09/04 – Editora Abril S/A – Aquisição de 540.000 exemplares do Guia do EstudanteAtualidades Vestibular Edição nº 09 e 25.000 exemplares publicação Atualidades – Revista do Professor, incluindo a entrega às 3.530 unidades escolares e 91 Diretorias de Ensino da Rede Estadual de Ensino – Prazo: 45 dias - Valor: R$ 3.143.120,00 – Data de Assinatura: 10/06/2009.

DO – 23/julho/2009ainda sem valores

15/0528/09/04 – Editora Abril S/A – aquisição de 2.259 assinaturas da Revista Recreio destinada às escolas da Rede de Ensino.

>

Fonte: Blog Acerto de Contas

Após pagar milhões, Kassab engaveta projeto de túnel na 23 de Maio

>

“Gestão” Kassab paga R$ 2,9 milhões por estudo e agora anuncia que o assunto ficará na gaveta. O pretexto é a queda na arrecadação, queda inveridica (mas que o lide do Estadão dá como fato real). A prefeitura aumentou sua arrecadação em relação ao mesmo período do ano passado. O problema é que o orçamento de Kassab é fictício e eleitoreiro, não correspondendo portanto com a realidade da arrecadação municipal e agora ele tem que fazer de conta que está obrigado a cortar gastos por conta da crise. LF


Arrecadação cai e Kassab engaveta novo túnel na 23

Elvis Pereira - O Estado SP

O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM), disse ontem que o projeto de um novo túnel na Avenida 23 de Maio, zona sul da capital paulista, vai para a “prateleira de bons projetos” - ou seja, será arquivado. O motivo, afirma, é que a crise financeira mundial reduziu a arrecadação municipal. A obra prevê a abertura do Túnel Ayrton Senna no sentido centro.

Em junho de 2008, a Prefeitura contratou um consórcio por R$ 2,9 milhões para fazer projetos e estudos a respeito do novo empreendimento. Em junho deste ano, declarou de utilidade pública para desapropriação 6 mil metros quadrados necessários para a implementação da obra. A intervenção permitiria que o motorista que faz o sentido bairro-centro pela Avenida Juscelino Kubitschek chegue à Avenida 23 de Maio diretamente pelo Túnel Ayrton Senna. Hoje, após sair da passagem subterrânea, ele tem de fazer um caminho por quatro vias adjacentes para chegar à 23.

“Não é porque você inicia uma licitação de projeto, conclui e o coloca na prateleira é que você vai fazer”, ressaltou Kassab. Ele disse achar “muito difícil” que o túnel seja executado em sua gestão.

Na terça-feira, reportagem do Jornal da Tarde mostrou que o túnel pode melhorar o trânsito na região, mas piorar a qualidade do ar em determinados locais. As conclusões constam do Relatório de Impacto Ambiental (Rima) exigido nesse tipo de obra. O Parque do Ibirapuera encontra-se na área de influência direta do empreendimento. Além disso, o Rima prevê 14 impactos permanentes nas proximidades e nos Distritos de Vila Mariana e Moema, beneficiados pela obra. Será necessário, por exemplo, o corte ou manejo de 203 árvores da região, incluindo dois jatobás de grande porte localizados na Avenida 23 de Maio, perto da Rua Estela.

No total, 15 mil m² de área seriam impermeabilizados. A Secretaria do Verde e do Meio Ambiente informou que seus técnicos estão analisando o Rima para emitir parecer.

>

Fonte: Blog do Favre


Favre - Leitora questiona dados da prefeitura sobre fretados

>

Bom dia. A prefeitura canta aos quatro ventos melhoras no trânsito de São Paulo. Os jornais falam em 4%, mas isso é irreal.

Nenhuma pesquisa ou reportagem foi feita sobre as linhas de fretado que foram extintas. A minha será a partir de 31/08/09.

Assim é claro que o trânsito melhora aparentemente, porque pelas mudanças de horário e itinerário ficou difícil pegar o fretado, e quem ficou nele sofre agora com a queda dos usuários e cancelamento das linhas. Só a minha associação cancelou 20 linhas. E as outras? Isso não é melhora no trânsito, isso é burrice e arbitrariedade, seguida por vereadores hipócritas.

Atenciosamente

Cláudia

Postado por Luis Favre

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Montenegro: Dilma já ganhou

>

>

por Luiz Carlos Azenha

Seria demais pedir que eu comprasse a Veja duas semanas seguidas. Não comprei. Portanto, o que escrevo abaixo é baseado em um e-mail que reproduz parte da entrevista com Carlos Augusto Montenegro, o dono do Ibope, publicada na revista. Será que ele disse mesmo o que foi publicado? Não me responsabilizo.

O e-mail veio acompanhado do título "A Luta Continua". Ou seja, a direita brasileira se apropriou até mesmo dos slogans da esquerda. Não saio mais com o meu boné do Che Guevara. Perigas de um bacana aqui do Higienópolis furtá-lo para usar na próxima manifestação "Fora Sarney".

O PT, como se sabe, acabou. Nas palavras de Montenegro, "o partido deu um passo a mais na direção de seu fim. O PT passou vinte anos dizendo que era sério, que era ético, que trabalhava pelo Brasil de uma maneira diferente dos outros partidos. O mensalão minou todo o apelo que o PT havia acumulado em sua história. Ali acabou o diferencial. Ali acabou o charme. Todas as suas lideranças foram destruídas. Estrelas como José Dirceu, Luiz Gushiken e Antonio Palocci se apagaram. Eu não diria que o partido está extinto, mas está caminhando para isso."

Uau! É lógico que o PT se desgastou no poder. Que, como partido do poder, se aprofundou nos grotões e perdeu base nas regiões metropolitanas. É um processo que sempre se deu na política brasileira. Foi assim com a Arena, com o MDB, com o PSDB. Mas acho meio arriscado dizer que o PT está caminhando para a extinção. E arriscado especialmente para alguem que dirige um instituto de opinião. É natural que o eleitor se pergunte: será que o sr. Montenegro vai distorcer pesquisas com o objetivo de garantir que sua entrevista não seja desmentida pelos fatos? Sim, eu sei que ele está falando para o público interno. As últimas semanas foram marcadas por isso: José Serra tentando convencer José Serra de que ele está eleito.

Mas o repórter poderia ter notado que Lula se reelegeu em 2006 depois do mensalão. E que o PT fez uma bancada respeitável. Posso estar enganado, mas acho que o PT foi o partido mais votado nas eleições municipais de 2008. Será que o PT está tão morto assim?

Diz o analista Montenegro que, "tudo indica que agora ele [Lula] não fará o sucessor justamente por causa da mesmice na qual o PT mergulhou."

Qual é a "mesmice" a que ele se refere? O PAC? O pré-sal? A resposta à crise econômica? Acho muito vago falar em "mesmice", especialmente para se decretar que o PT está liquidado e que não tem chance em 2010.

"A transferência de votos ocorre apenas no eleitorado mais humilde", diz Montenegro. O que ele quis dizer com isso? Só os ignorantes votarão em Dilma? Ainda que ele esteja certo, não seria o caso de notar que "os mais humildes" são maioria no Brasil?

Uma observação óbvia, que o repórter poderia ter feito.

Finalmente, ele fala sobre a corrupção dos eleitores:

"Uma pesquisa do Ibope constatou que 70% dos entrevistados admitem já ter cometido algum tipo de prática antiética e 75 % deles afirmaram que cometeriam algum tipo de corrupção política caso tivessem oportunidade. Isso, obviamente, acaba criando um certo grau de tolerância com o que se faz de errado. Talvez esteja aí uma explicação para o fato de alguns políticos do PT e outros personagens muito conhecidos ainda não terem sido definitivamente sepultados."

Isso vale também para os políticos do PSDB, do DEM, do PMDB, do PCdoB, do PSB ou só para os do PT?

Se 70% dos entrevistados admitem ter cometido algum tipo de prática antiética e se boa parte deles vota no PT -- além dos "mais humildes", que são maioria e obedecerão ao Lula -- então a Dilma já ganhou em 2010. Com os votos de pobres, corruptos e pobres corruptos, já que corruptos pobres quase não existem.

Estou apenas aplicando a lógica do Montenegro. Uma pena que o entrevistador não tenha seguido o raciocínio do homem do Ibope.

No Brasil de hoje, esperar que um repórter faça as perguntas lógicas é pedir muito.

>

Fonte: Viomundo

Lula reafirma a ”marolinha” e cobra desculpas

>
Presidente acredita ter acertado na previsão sobre efeitos da crise no País, mesmo sabendo que era grave

Clarissa Oliveira - O Estado SP


Confiante de que não errou ao dizer que o Brasil estava pronto para o “espetáculo do crescimento” e que a crise econômica passaria pelo Brasil como uma “marolinha”, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva cobrou ontem um pedido de desculpas dos que o criticaram.

“Eu me lembro, como se fosse hoje, que fui na Ford em julho ou agosto de 2003, quando citei a frase do espetáculo do crescimento. Ninguém nunca me pediu desculpas. Eu também não quero mais”, ironizou.

Em São Bernardo do Campo, onde participou de um debate sobre o impacto da crise na região, Lula disse ter enxergado o potencial do País na época. O mesmo, destacou o presidente, ocorreu quando procurou fazer uma avaliação do impacto que a atual crise poderia ter na economia brasileira. “Quando nós dizíamos que era marolinha, não é porque nós não tínhamos ideia do tamanho da crise.”

O presidente investiu no discurso de que a indústria brasileira exagerou ao reagir à eclosão da crise nos Estados Unidos, no fim do ano passado. “Não exista nenhuma razão para a brecada que demos nos meses de novembro, dezembro e janeiro.”

Sem esconder a satisfação em devolver as críticas, ele prosseguiu com as cobranças. Lembrou, por exemplo, que foi atacado por viajar demais. E ainda por ter adquirido o Aerolula. “Quando eu comprei o avião, vocês estão lembrados? É o Aerolula, o avião é do Lula, o avião é do Lula, o avião é do Lula. Uns disseram: Vamos vender e fazer dez hospitais. Hoje eu acho que o avião é pequeno.”

O entusiasmo foi tanto que Lula precisou se desculpar para a plateia quando discursava sobre seu empenho em rodar o mundo para promover produtos brasileiros. “Hoje, não tem mais esse negócio de o presidente ficar com a bunda na cadeira - desculpem o palavrão - achando que as pessoas vão vir aqui comprar”, disse.

Esse não foi o único momento em que Lula arrancou risos da plateia. Ao comentar as dificuldades de estimular as vendas de carros usados, ele disse ter ouvido da direção do Banco do Brasil que faltava “expertise” ao País nesse segmento. “Não tem expertise, vamos comprar. O Corinthians não está sem centroavante? Compra um. Comprou o Fofão, mas o Fofão cismou de fazer lipo”, brincou, em referência ao jogador Ronaldo.

Lula lembrou as inúmeras vezes em que foi retratado em charges. E aproveitou a chance para alfinetar a imprensa. “Hoje eu fico orgulhoso porque não sou só eu que falo”, disse, ao exaltar as conquistas de sua administração. “É só ler. Se vocês lerem a imprensa brasileira, vão ler pouco. Mas leiam a imprensa estrangeira especializada em economia para vocês verem o que falam do Brasil a Alemanha, a França, a Espanha, a Inglaterra, os Estados Unidos, todo o mundo.”

No Brasil, entretanto, Lula disse que “uns poucos” aprenderam a “vender só desgraça”. “Mas os números desmentem qualquer invenção diabólica. Os números são irrefutáveis”, concluiu.

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

“Gestão” Kassab: GCM confirma primeira greve desde a sua criação

>

http://psolpinheiros.files.wordpress.com/2009/04/kassab.jpghttp://brasil.indymedia.org/images/2007/06/387012.jpg

Cristiane Bomfim - O Estado SP

A Guarda Civil Metropolitana de São Paulo (GCM) está em greve. Desde a zero hora de hoje, apenas 30% do efetivo de 6.520 guardas permanece nos postos de trabalho para cumprir a lei de paralisação. A categoria reivindica reajuste salarial desde a aprovação na Câmara de um projeto do prefeito Gilberto Kassab (DEM) que prevê gratificação de até R$ 1.800 a policiais militares que participam de atividades conveniadas com o Município. .

A decisão de cruzar os braços, tomada em assembleia na última quarta-feira, foi ratificada na noite de ontem em encontro da categoria que reuniu cerca de 700 guardas. “A gratificação dos policiais militares foi a gota d’água. Há mais de dez anos a guarda não tem aumento real”, afirmou o presidente do Sindicato dos Guardas Civis (Sindguardas), Carlos Augusto de Sousa e Silva. O salário base é de R$ 855. A GCM quer elevar para R$ 1.281,60. Esta é a primeira vez que a guarda entra em greve, desde a criação, em 1986.

Sousa e Silva disse que durante reunião, ontem, com o secretário de Segurança Urbana, Edson Ortega, ele afirmou não ter planos de aumento salarial até o fim do ano. “O secretário disse até que não é ele quem decide se pode ter aumento ou não.” Segundo a secretaria, no encontro foram apresentadas “as medidas que o governo já tomou e o andamento de outras para modernizar a GCM e valorizar seus integrantes”. A Prefeitura ressaltou que a greve não é “um instrumento que favorece o ambiente para entendimentos”.

Segundo o presidente do Sindguardas, às 19h30 o comandante da GCM, Joel Malta de Sá, teria ligado para pedir o cancelamento da greve em troca de uma reunião com o secretário de Modernização, Gestão e Desburocratização, Rodrigo Garcia. “Prefiro ser taxado de radical do que de vendido”, teria respondido Sousa e Silva.

>

domingo, 23 de agosto de 2009

Altamiro Borges - Globo, Record e a urgência da CPI da mídia

>
A “guerra nada santa” travada entre as TVs Globo e Record comprova que existe algo de muito podre no reino dos poderosos e impenetráveis impérios midiáticos do país. Os barões da mídia, por razões políticas e na busca por audiências sensacionalistas, adoram impor a instalação de Comissões Parlamentares de Inquéritos. A “presunção de culpa” se sobrepõe à “presunção da inocência”, inscrita na Constituição, e reputações são jogadas na lata de lixo da noite para o dia. A agenda política fica contaminada pelo denuncismo vazio, que rende pontos no Ibope e novos anunciantes, e que ofusca o debate sobre os problemas estruturais da democracia brasileira.

O processo sui generis de concentração da mídia nativa e sua alta capacidade de manipulação de corações e mentes são, de fato, graves atentados à democracia. A lavagem de roupa suja entre as duas maiores emissoras do país, num caso inédito de transparência no setor, revela que há muito a se apurar sobre a ditadura midiática. Ela cria a oportunidade ideal para as forças organizadas da sociedade, engajadas na luta pela democratização da comunicação, também exigirem a instalação de uma CPI para averiguar tais irregularidades. Impõe a vários parlamentares, hoje alvos da fúria midiática, uma revisão deste poder descomunal. E não faltam motivos para esta justa demanda.

A sensível questão religiosa

Liderando uma “cruzada” que reúne os jornalões Folha e Estadão e a revista Veja, a Rede Globo tem exibido para milhões de telespectadores várias denúncias contra a sua principal concorrente. Com base numa denúncia do Ministério Público de São Paulo contra Edir Macedo, fundador da Igreja Universal do Reino de Deus (Iurd), a TV Globo tem apresentado exaustivamente matérias que comprovariam formação de quadrilha, lavagem de dinheiro e enriquecimento ilícito. Willian Bonner e Fátima Bernardes, o casal-âncora do Jornal Nacional, o noticiário de maior audiência no país, não se cansa de mostrar os vínculos entre o Edir Macedo e a Rede Record.

As reportagens globais também procuram explorar a sensível questão religiosa, acusando a Iurd, que possuí 8 milhões de fiéis no Brasil e igrejas espalhadas por 174 países, de desviar dinheiro das doações para compra de imóveis suntuosos, carros importados e emissoras de rádios e TV. “Edir Macedo deu outro destino ao dinheiro doado à Igreja Universal”, acusou Fátima Bernardes no Jornal Nacional. Com várias imagens das pregações feitas nos cultos, a TV Globo insiste que “a religião é apenas um pretexto para a arrecadação de dinheiro”. Os ataques são duros e diários.

Golpismo e irregularidades

Como resposta, a TV Record tem exibido para milhões de brasileiros inúmeros fatos irrefutáveis que só uma minoria conhecia. Aproveitando-se da vulnerabilidade política da concorrente, ela mostrou que a Rede Globo é cria da ditadura militar e que construiu seu império graças ao apoio decidido dos generais golpistas. Celso Freitas e Ana Paula Padrão, os âncoras do Jornal da Record, que já estiveram do outro lado do front, lembraram as fraudes para impedir a vitória de Leonel Brizola ao governo do Rio de Janeiro, as manobras para esvaziar a mobilização popular pelas Diretas-Já, a fabricação do “caçador de marajás” e as várias investidas para desestabilizar o governo Lula.

Mas a TV Record não ficou somente no campo da política – como a concorrente também não se limitou à discussão religiosa. Ela também apresentou inúmeras denúncias de irregularidades. Já na sua origem, o acordo misterioso com a empresa estadunidense Time-Life, numa transação que era proibida pela lei brasileira e que rendeu milhões de dólares à TV Globo. Depois, na aquisição suspeita da TV Paulista, num negócio com documentos falsos. O ex-ministro das Comunicações, Euclides Quandt de Oliveira, também garantiu numa entrevista que a Globocabo contraiu empréstimos irregulares na Caixa Econômica Federal e no BNDES, em 1999, no valor de R$ 400 milhões. Outra bomba foi a denuncia de que a TV Globo ocupa um terreno da Secretaria de Planejamento de São Paulo, numa relação promíscua com o governo tucano de José Serra.

Apuração rigorosa das denúncias

Como se observa, as denúncias de ambos os lados são graves e exigem rigorosa apuração. Em função da “guerra nada santa” entre as duas principais emissoras de televisão do Brasil, o tema hoje está na boca do povo – o que é saudável para a democracia. Uma Comissão Parlamentar de Inquérito sobre a mídia contribuiria para investigar a veracidade dos fatos. Além disso, a CPI seria uma importante alavanca para o debate sobre a urgência da democratização dos meios de comunicação no país. Afinal, as emissoras privadas usufruem de uma concessão pública. Elas não podem ficar acima das leis, da Constituição e da Justiça.
>
>


Após oito dias de greve, os radialistas da TV Cultura decidiram na noite desta segunda-feira (17) suspender o movimento, marcado pela coesão e forte organização. Os trabalhadores aceitaram a proposta de conciliação feita pelo desembargador Nelson Nazar, vice-presidente do Tribunal Regional do Trabalho (TRT), que prevê reajuste salarial de 6,05%, aplicado aos benefícios. Segundo o sindicato da categoria, o retorno ao trabalho não significa que as negociações com a empresa estejam encerradas, já que a mantenedora da TV Cultura, a Fundação Padre Anchieta, solicitou o julgamento da paralisação. Os radialistas permanecem em “estado de greve”.

O TRT propôs ainda que nenhum grevista seja punido, que metade dos dias parados seja pago e que a reivindicação do abono seja renegociada com o governo do Estado. Durante a paralisação, o governador José Serra demonstrou total intransigência. Os grevistas foram ameaçados de demissão e suas exigências foram desqualificadas por integrantes do executivo. A categoria teme que o governo, que controla a Fundação Padre Anchieta, parta agora para o revanchismo. A postura vingativa do tucano José Serra e seu ódio visceral ao sindicalismo são bem conhecidos.

José Serra e o bloqueio midiático

Conforme denuncia o Sindicato dos Radialistas, a greve foi deflagrada em 10 de agosto porque o governo simplesmente descumpriu o acordo coletivo assinado com a categoria, que previa 5,83% de reajuste e um abono salarial de 35%. “Na verdade, a Rádio e TV Cultura vem ignorando a lei e as reivindicações dos trabalhadores há muito tempo”, garante a entidade, que crítica do Codec, órgão do governo estadual, como responsável maior pela intransigência. Ela ainda responsabiliza a direção da Fundação Padre Anchieta, presidida por Paulo Markun, pela crise da emissora, que acumulou um rombo financeiro de R$ 19 milhões no período recente e é “incompetente”.

A greve dos radialistas da RTV Cultura também serviu para desmascarar as relações promíscuas entre o tucano José Serra e o grosso da mídia hegemônica. Ela tratou a paralisação como “não-notícia”, evitando qualquer realce à mobilização e às demandas dos trabalhadores. A passeata dos grevistas, que ocuparam três faixas da congestionada Marginal do Tietê, não foi noticiada. O bloqueio midiático prova que há uma forte blindagem para defender a trágica gestão do tucano. Caso a greve tivesse ocorrido na TV Brasil, ela seria manchete nos jornalões e nos telejornais. A “ditabranda” da Folha publicaria outro editorial para defender o fechamento da emissora pública.
>
Fonte: Blog Altamiro Borges